Anjos da nossa caminhada

Padrão

Chega um dia em nossa caminhada que a gente finalmente entende que para se viver bem é preciso aprender a viver sozinho.

Não sozinho no sentido de se isolar do mundo e tornar-se amargurado porque ninguém soube corresponder suas expectativas. Mas, sozinho, no sentido de saber caminhar só; aprender a não depender de ninguém e entender que as pessoas queridas lhe acrescentam, mas não há nada que se esperar, não há nada a que se prender. Cada um vive sua vida individualmente, e passa-se por ela sorrindo quem mantém amigos ao seu lado para dar-lhe força na superação dos obstáculos.

Quando adquire-se uma certa maturidade, compreendemos que nada é para sempre e até aquele melhor amigo do mundo um dia te decepciona.
Namoros acabam e – graças a Deus – você não precisa nunca mais olhar para a cara da pessoa.
Família é laço sanguíneo e você sabe que pode acontecer o barraco que for, continuará sendo sua família.
Já os amigos…a cada minuto criam-se amizades e desfazem-se laços. O que fica são as boas lembranças; de uma conversa, uma gargalhada, um choro compreendido.
E eu achava que a vida era assim e os amigos renovavam-se.
Até que eu descobri que existem pessoas maravilhosas nesse mundo, pessoas que temos vontade de conhecer e desvendar. Pessoas que nos ensinam e nos acrescentam muito.
Descobri que cada um tem seu caminho a seguir, mas que – mesmo com a vida corrida que a gente leva – a gente pode manter zilhões de amigos ao nosso lado. E são eles que tornam tudo mais divertido, mais prazeroso e que nos dão força, seja em um sorriso, um abraço, uma palavra ou até em um deboche.

Amizade tem que ser cultivada, cuidada. Se você deixar ela lá e não regá-la todos os dias, ela esfria, afasta, acaba.
Tem que ter paciência o bastante para ligar ou mandar uma mensagenzinha dizendo que está com saudade.
Tem que ter força para escutar aquele monte de problema quando você queria era ser escutado.
Tem que ter humildade para pedir perdão e sabedoria para entender que não é porque você foi magoado que você não é querido.
Tem que ter sensibilidade para perdoar, respeitar e aprender a conviver.
E, tem que ter memória fraca, para conseguir esquecer os tropeços um do outro e cultivar só as coisas boas.

Quem não tem amigo não ouve uma verdade que tem que ser dita; não compartilha suas histórias; não aprende com uma personalidade diferente; não sente o prazer que é rir em voz alta e sentir-se feliz, por estar ali, na frente de um amigo que te entende.
Quem não tem amigo não vivencia a complexidade humana e não busca a evolução, sente-se só e vive-se só. E não porque aprendeu a construir seu próprio eu e caminhar em busca do que acredita, mas sim porque não soube cuidar de uma amizade para torná-la eterna e não soube entender que não existe ser humano perfeito; por mais admiração que se tenha, as pessoas vão falhar e – como diria Shakespeare – você terá que perdoá-las por isso.

E assim consiste a arte de viver bem.
Construir sua caminhada com seus próprios princípios e fortalecer-se na individualidade para quando enxergar-se sozinho ou incompreendido. E, porquê, cada um está nessa vida com uma certa carga de missão e de aprendizado, e a carga do outro não lhe cabe, por isso devemos focar na nossa que já é pesada o bastante.

Entretanto, devemos colorir nossa caminhada com amigos que se encontram nos mais inusitados lugares.
Sempre pode-se fazer mais amigos. E as pessoas mais ricas são aquelas que possuem amigos de todos os tipos, sexualidades, classes sociais, religiões e ideologias…é assim que ela conhece o mundo e leva o que acha útil para sua caminhada.

Mas é certo que existem pessoas que simplesmente não nos fazem bem. Destas, afasta-se.
Deixa ir. Sem rancor e sem lição de moral. Esquece e segue teu caminho!

Já dos bons amigos ou dos apenas colegas, cultive a amizade e desfrute o máximo que puder!
Não há nada a perder e você só enriquecerá.
Será mais fácil trilhar sua caminhada se houver pessoas que lhe queiram bem ao seu lado.

É hora de deixar toda mágoa para trás e resgatar todas as pessoas que lhe fazem bem.
Perdoar, esquecer e fazer-se amigo de verdade.
Há pessoas por aí precisando de abraços, sorrisos e palavras amigas.
Se você já aprendeu a viver, ensina um amigo e mostre a ele que quando se compartilha alegria ela se multiplica em vários sorrisos…

Imagem

Livia Galhardi.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s